Pedro Mizutani é eleito novo presidente da UPK

Como parte integrante da Assembleia Geral Ordinária da União Paulista de Karaokê (UPK), foi realizada, no dia 14 de abril de 2018, a eleição à nova diretoria, gestão 2018/19, dessa entidade. Com participação de 81 pessoas aptas ao escrutínio, ao final, a chapa União Continuada, encabeçada por Pedro Isamu Mizutani foi considerada eleita por unanimidade, sem um único voto contrário.

Cumprindo rito convencional, após segunda chamada, a Assembleia teve início às 10h e transcorreu de forma normal com apreciações e aprovações por parte dos presentes dos Balanços de Atividades e Patrimonial referente ao ano anterior, assim como às Atividades e Previsão Orçamentária para 2018, com sequência ao processo eletivo, para finalizar ao meio-dia.

Em seu discurso, pós eleito, Pedro Mizutani enfatizou, pela própria composição de sua chapa, a importância da descentralização, mas com conjunção de forças para maior eficácia; a necessidade de se adequar a UPK à modernidade, bem como o conselho de jurados; e empenho para atrair os jovens. “Com muito apreço, agradeço a presença de todos! A unanimidade à chapa UNIÃO CONTINUADA certamente aumentou nosso compromisso para dar continuidade à gestão do  Dr. Elzo, trabalhando ainda mais pela preservação da cultura japonesa pelo karaokê. Esse trabalho só será bem desenvolvido se conseguirmos garantir, como hoje, um ambiente democrático, harmonioso  e sinérgico. Juntos, fortaleceremos nossa união que é o princípio da UPK. Muito obrigado e contamos com a colaboração de todos!”, concluiu.

Independentemente da composição da diretoria, qualquer eleição com candidato novo, é salutar. O atual presidente realizou duas ótimas gestões, mas estatutariamente não pode se candidatar. E não é plenamente novo porque Pedro fez parte das gestões anteriores com muito destaque. Novo está no fato de pensar de forma descentralizada, compondo sua chapa com representantes da Capital e do Interior em cargos executivos”, aprovou Katsutoshi Kuratome, vice presidente da ABRAC e, agora, diretor executivo na UPK.

A representante regional de Mogiana, Mieko Nagayoshi, ficou satisfeita com a proposta descentralizadora e de modernidade do presidente eleito… “porque os reclamos do Interior receberão maior atenção e o retorno dos jovens poderá se efetivar. Esse tipo de iniciativa nos agrada. De nossa parte, até já resolvemos adotar isenção às crianças aos nossos taikais”, afirmou.

Elzo Sigueta, presidente atual, sintetizou as dificuldades encontradas em suas gestões, do alívio recebido do antecessor, Toshio Yamao, por ter conseguido saldar a dívida com o Ministério da Cultura; do apuro de duas emendas parlamentares ao Paulistão de São Caetano “não vingarem”, complicando a situação financeira da entidade; da recuperação do folego, com o evento seguinte, no Bunkyo e, depois, no deste ano, em Barueri para, finalmente, equilibrá-la. “Como sobrevivemos? Graças à ajuda de todos, professores, associados, cantores, por meio de bingos, rifas, etc., mas também ao decidirmos deixar de jogar responsabilidade a apenas uma regional ou cidade para essas realizações e passarmos a realizá-los de maneira coletiva. Por isso agradeço a todos nesse período que estive à frente da UPK, desejo sucesso à nova diretoria e já me coloco também à disposição a esta gestão! A UPK seguirá firme e forte!”, finalizou.

(texto e fotos: Silvio Sano)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *