Ao Paulistão 2019, comissão da UPK realiza visita técnica a Ribeirão Preto

No dia 7 de julho de 2018, sábado, uma comissão de 9 membros da UPK, liderada pelo presidente Pedro Mizutani, realizou visita técnica e consultiva ao Kaikan da Associação Nipo Brasileira de Ribeirão Preto onde foram recepcionados por Sílvio Sakamoto, presidente da entidade; Hazime Nakamura, vice-presidente; Maurício Hirasawa, presidente do Conselho; e Osmar Kushino, por intermediação de Mieko Nagayoshi, diretora da UPK,  moradora da cidade e sócia do Kaikan local. Outros diretores locais também se apresentaram, mas não puderam permanecer devido aos preparativos para os festejos do Tanabata Matsuri que estavam promovendo nesse mesmo final de semana, o maior da região.

Pelo relato dos membros da UPK que participaram da mesma e da reunião com a diretoria local o saldo foi muito proveitoso, apesar de que a resposta final e definitiva, da parte da associação, será dada no dia 20 de julho, em pleno Brasileirão.

Pelo que constataram, da parte da UPK há unanimidade em relação à viabilidade dessa realização, até por já ter ocorrido um lá, em 2005, com pleno sucesso, no mesmo local e realizado pela própria Liga Mogiana da Canção.

O salão onde ocorrerá o evento é enorme e tem uma área anexa que pode ampliá-lo ainda mais. O palco é grande, o que possibilita boa decoração e iluminação, e o piso é firme”, afirmou Leni Yamashita que não participou do de 2005. “O restaurante tem estrutura de cozinha suficiente para o preparo das refeições e a área para estacionamento é ótima. No geral, achei o local mais do que perfeito para essa realização”, concluiu.

A meu ver, o local apresenta plenas condições para se realizar o próximo Paulistão porque tem salão, cozinha, estacionamento, espaço para circulação, amplo, estrutura do palco, ótimos, necessitando apenas de pequeno prolongamento, apenas para adequar à Abertura Oficial. Ou seja, apenas reparos físicos. Afora isso, considero-o mais do que ideal para a realização do Paulistão”, deu seu parecer, Joji Izumi.

Mário Hideshima extrapolou considerando o fato de o Paulistão ocorrer numa cidade do interior do Estado para, além de atender um dos motes da entidade, da descentralização, proporcionar maior integração entre cantores da Capital e do Interior. “Além disso, o lote é gigante, tem bom estacionamento e com algumas construções externas que poderão ser úteis a algumas necessidades extraordinárias do evento”, afirmou. Mas ao contrário de Leni achou… “as dimensões do salão pequenas para um Paulistão, se bem que suficiente para acomodar o público porque é climatizado. E algumas providências haverá de se fazer no que se refere aos sanitários e vestiários para abrilhantar e dignificar o evento”, concluiu, aprovando a escolha.

O local tem condições plenas de atender as necessidades do Paulistão” iniciou seu parecer, Hélio Yamaoka. “Avaliamos auditório, palco, bastidores, camarins, banheiros, área de circulação de cantores, apresentadores, portas de entrada/saída, instalações de mesas para Representantes Regionais, Recepção de CD’s, Vendas de Programas, local para equipamentos de som, dos Jurados, refeição, bazaristas, estacionamento, etc.”, prosseguiu. “E deixei uma relação para a Mieko e ao presidente Silvio, das atividades preparatórias e relação de quantidades de mesas/cadeiras para cada área de trabalho acima citadas”, concluiu.

Para finalizar, o presidente da UPK, Pedro Mizutani, após ouvir a todos afirmou nada a acrescentar e que por isso concluiu que o local reúne todas as condições para a realização do XXV Paulistão, em fevereiro de 2019. “Agora, vamos aguardar a posição da diretoria local pra efetivarmos de vez a realização do próximo Paulistão”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *