Orientações aos Cantores de Karaokê, no Conselho de Erika Kawahashi

Olá, meus amigos.
Aproveitando este período de quarentena, resolvi escrever à seção Conselho de Jurado algumas orientações, neste caso, destinado aos cantores de Karaokê, especialmente aos que se apresentam em Taikais.
Primeiramente, estar tranquilo (a) é importante, sem se preocupar com classificação.
Leve sorriso ao adentrar no palco, não faz mal a ninguém.
Cantar parece fácil, mas para quem quer mesmo a voz cantada, é necessário muito treino.
O ar, ao sair dos pulmões e passar pelas cordas vocais, vibra com a passagem do ar e produz o som. Essa voz será ampliada e modificada ao encontrar com as estruturas de ressonância (máscara). 
Todos os espaços entre a língua, os dentes, as bochechas, o céu da boca e os lábios, vão contribuir para modificar a qualidade da voz.
Se tivermos com algum problema em quaisquer dessas estruturas, iremos produzir uma voz “ruim”.
Ao cantar, devemos utilizar ao máximo todas essas estruturas, acima descritas.

É muito importante que se faça uma vocalização correta:
Temos 3 aparelhos importantes do nosso corpo: Aparelho Respiratório, Aparelho Fonador e Aparelho de Ressonância.
O Aparelho Respiratório, que está integrado pelos pulmões e o diafragma;
O Aparelho Fonador, constituído pela laringe e pelas cordas vocais;
O Aparelho de Ressonância (também chamado de máscara), onde o ar, transformado em som, se expande, adquirindo qualidade e amplitude.
A boca é um ressonador muito importante e é o único capaz de alterar a sua forma e obter um som redondo e agradável ao ouvido, é necessário elevar o “céu da boca”. Esta posição é a de um bocejo. Nesta posição, o fundo da garganta estará bem aberto e emite-se um “mmmmm”, prolongadamente e o Som chega aos Ressonadores faciais, provocando uma leve cócega, devido às vibrações que se realizam ao redor do nariz.

DICAS: a respiração no canto é diferente da respiração da fala. Você mesmo (a) deve saber controlar o sopro: você deve aprender a economizar e a controlar o ar expirado. Você precisa regular constantemente o gasto de ar, conforme a intensidade e a duração da frase que irá cantar.

RESPIRAÇÃO: para se ter o ar que necessitamos para cantar, temos que encher o diafragma.
O ar enche os pulmões, mas o controle é através da distensão do diafragma, que determina o volume de voz alta ou baixa, e também a extensão, se prolonga ou interrompe. Por isso dizemos que a respiração é fundamental na arte de cantar.
Tem um ditado que diz: quem não sabe respirar, não sabe cantar.
Ao expelirmos o ar, o ar passa pelas cordas vocais. O som é emitido quando o ar, pela pressão do diafragma, passa pelas cordas vocais. Dependendo da quantidade do ar que é expelida pela pressão do diafragma, podemos dizer que a voz é forte ou fraca.
Chamamos de retenção, quando você não pressiona o diafragma. São Sons Apoiados.
Chamamos de pressão, quando você pressiona o diafragma. São sons pressionados.

POSTURA
1) Estar estável. 2) Manter as pernas um pouco afastadas a ponto de não perder o equilíbrio, com abertura para a esquerda e direita, ou para frente e para trás. 3) Alongar o dorso – abrir o peito, encolher o abdômen, não curvar o rosto para baixo e olhos para frente. 4) Não fazer força  – colocar o centro de gravidade no diafragma e tirar a tensão do queixo, dos ombros e dos braços.

Espero que tenha auxiliado um pouco, na sua arte de cantar.


Érika Kawahashi
membro do Conselho de Jurados
(11)2578-3829/99827-9925
erika.kawahashi@yahoo.com.br
CDs de Vocalização (encomendas)
Aulas, gravações, seminários, bailes
e eventos (música ao vivo)

Nota: A opiniões contidas nesta seção, Conselho de Jurado, não expressam necessariamente a opinião da UPK (União Paulista de Karaokê), sendo inteiramente da responsabilidade do autor.
Mensalmente, pretendemos ter, nesta seção, novos conselhos de outros jurados. 

4 Comments on "Orientações aos Cantores de Karaokê, no Conselho de Erika Kawahashi"

  1. Muito boa noite! Obrigada pelas valiosas informações, prezada Érika Kawahashi. Pretendo evoluir cada dia. Vou exercitar. Abraço.

  2. Obrigado pelos conselhos. Apesar de ser muita coisa a ser lembrada na hora “H” (no palco) rsrsrs … é para isso que treinamos, tentando utilizar essas técnicas de maneira automatica.

  3. Olá Kazuo.
    O treino diário da vocalização faz com que tudo fique automatizado, de uma forma natural, sem precisar “pensar”, pois, para se cantar, precisamos usar o nosso corpo.
    Feito isso, vem a parte interpretativa, sendo necessário analisar o poema (letra), usando a respiração do diafragma, sob o controle deste músculo, sempre controlando e regulando o gasto de ar.
    Desejo a você, sucesso em suas apresentações!
    Érika.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*