1º Karaokê Taikai Virtual da UCEG

Finalmente, após alguns testes realizados anteriormente e sempre com ensaios prévios a fim de dar condições aos participantes para se familiarizarem melhor com a plataforma a ser usada no evento (Google Meet), uma novidade para a grande maioria, sob coordenação geral de Margarida Saiki, a União Cultural e Esportiva Guarulhense (UCEG) realizou seu 1º Karaokê Taikai Virtual, no dia 28 de junho, com início às 9h da manhã, contando com 125 cantores inscritos!

Em virtude de até parte dos componentes da Comissão Organizadora não ter domínio pleno da Tecnologia de Informática (TI), inclusive a própria coordenadora, mesmo “aos trancos e barrancos”, o evento transcorreu de modo satisfatório aos participantes, até porque todos estavam cientes do ineditismo e do fato de a qualidade de transmissão depender de cada celular e bem como da rede local de cada um.
Foi o primeiro taikai virtual que realizamos. Crescemos a partir de experiências e acredito que todos os envolvidos aprenderam um pouco de tudo. Eu, por exemplo nem sabia mudar as configurações de meu celular, mas daí foi só pedir ao meu genro e filho e eles me faziam tudo, além de me orientarem”, revelou Margarida. “E creio que foi o que ocorreu a quase todos os envolvidos, tanto da comissão organizadora como aos próprios cantores, recorrendo a amigos ou familiares”, completou.
Assim, pode se considerar que o evento atingiu pleno êxito, até pelo fato de ter sido ao vivo, com cada participante ligando seu aparelho logo após anunciado. “Achei muito válido esse formato de taikai virtual. Inédito! Um taikai em tempo real que dá o mesmo nervosismo de um presencial”, concordou, Tereza Kato, presidente do Corpo de Jurados.“Teve algumas falhas de qualidade na transmissão, talvez por causa de redes, conexões fracas, mas gostei bastante da iniciativa porque vai incentivar mais ensaios, e ser bom também aos professores para recomeçarem seus trabalhos”, concluiu.

O taikai
Pelo número de inscritos, já era previsto alguns problemas de ordem técnica, principalmente da parte dos participantes, cuja grande maioria é ainda mais leiga no assunto e precisando de todo apoio possível, de familiares ou amigos em seus momentos de apresentação. Como a Yoshitaka Yokoyama, de 98 anos, que sinalizado pelo filho Mauro Yokoyama, que também canta, deu o recado devidamente e com muita satisfação.

Yoshitaka Yokoyama

Ou do surpreendente desempenho de Aiko Nishi, 86 anos, que, ao menos para quem  a assistia, estava claro que ela própria comandou sua participação ligando e desligando corretamente seu aparelho em sua vez.

Aiko Nishi

Durante o transcorrer da programação ficou claro que a distância não era problema para a qualidade das transmissões, conforme deu para perceber nas apresentações dos participantes de Mato Grosso do Sul, São Carlos e Sorocaba.

1. Satoshi Ikeda (Sorocaba), 2. Joacilia Yamada (São Carlos)
3. Alexandre Noriyuki Sasaki e 4.Miyuki Sasaki, ambos de Mato Grosso do Sul

De modo geral os participantes se apresentaram como se presencial fosse o evento. “Fiquei admirada no capricho de cada cantor, no seu visual, alguns com recursos tecnológicos, aplicativos simulando iluminação artística, chuvas de pétalas, neve etc., tornando a Live mais atrativa e interessante!”, comentou Tereza Kato sobre como levaram a sério o evento, “como se matassem saudades”.

Preocupação com cenário de fundo

Assim, um a um, os cantores foram se apresentando de acordo com o programa previamente enviado a todos os participantes. A cada chamada de cantor, ainda devido à dificuldade no manuseio do mesmo, o apresentador tinha de repetir o nome ou, com agilidade, percebendo a dificuldade do cantor anunciado, passava para outro, mas informando ao anterior que ele voltaria a seguir ou ao final do grupo.
Essa foi a única razão do atraso do cronograma, mas não tão grande ou de forma comprometedora. Tanto que logo após a apresentação do último cantor, vários comentários dos participantes foram postados no grupo whatsapp, todos de forma elogiosa à comissão organizadora complementada pela satisfação de terem participado do evento.

De perto e com boa iluminação frontal, a ideal
Iluminações medianas
Iluminações medianas
Iluminações posteriores e/ou distantes das câmeras com pouca iluminação, não recomendáveis.
Possibilidade de casais cantarem no mesmo taikai é maior
Mais casais…
Assim como Pais e Filhos
Mas alguns também pagaram micos (NG), por conta da inexperiência…

A Comissão Julgadora foi formada por Tereza Kato (presidente), Cláudio Tsutiya e Tadashi Watanabe que também se dedicaram ao aprendizado do aplicativo porque não lhes bastavam julgar, como também enviar, em seguida, as notas à comissão, via whatsapp.

1. Tereza Kato (acima)
2. Cláudio Tsutiya e,
3.Tadashi Watanabe (abaixo)

A Comissão Organizadora foi formada, conforme abaixo:

Encerrada a parte relativa à última categoria do evento, Alexandre Hayafuji (Jouen), Tadashi Watanabe (Shikuramen no Kaori) e Pedro Mizutani (Kimito Itsumademo) realizaram apresentações-shows. 

prof Alexandre Hayafuji, que enviou vários cantores ao evento
prof. Tadashi Watanabe, um dos jurados do evento
Pedro Mizutani, presidente licenciado da UPK

O imprevisto corrigido
Segundo o idealizado pela Comissão Organizadora, era para mesmo pessoas de fora, não participantes do evento, via stream, instrumento do Google Meet, também poderem assistir, em tempo real, ao taikai, mas por problemas de ordem técnica acabou sendo impossível. Como por medida de prevenção todo o evento fora gravado, nos dias seguintes foi encontrada uma solução de forma que os interessados ainda poderão assisti-lo.
Para isso basta acessar pelos links abaixo:
Abertura:
https://drive.google.com/file/d/1Tu2Lkk1R5bnmrzuH_CcAwaHOi4FGgsS-/view?usp=drivesdk
Bloco1: …
Bloco2:
https://drive.google.com/file/d/1niANm9Pmh-IuHN9B-OA_sFdTJ0vCkeSJ/view?usp=drivesdk
Bloco3: https://drive.google.com/file/d/15QsV1t5YrT1_Gpv4jmnzUUYEWKU9LF17/view?usp=drivesdk

Por conta disso, partes entre o primeiro e segundo bloco foram perdidos na gravação. dentre as quais, do momento da apresentação de algumas crianças. Tão logo sejam recuperadas, a comissão as tornará pública novamente. As quatro crianças salvas são as abaixo:

Pedro Oshiro
Emily Arakaki
Manuela Kimura
Aiko Arakaki

Repercussão
O número de inscritos (125), a quantidade de associações participantes (30), incluindo uma de fora do estado de São Paulo (Mato Grosso do Sul) e a forma como alguns se juntaram, com devidos cuidados, preocupados com as questões técnicas citadas, (próprio aparelho ou conexão com redes de internet) ou até mesmo a se apresentarem bem (alunos do prof Alexandre Hayafuji), indicam que a repercussão foi excepcional.

Formas de acompanhamento do evento
Muitos alunos do prof Alexandre Hayafuji
“se juntaram” na escola dele
e acabaram tendo de cantar sob suas vistas.

Pelo formato, ainda engatinhando, mesmo aos cantores, alguns se perderam na escolha da melhor posição do celular em relação ao aparelho de som, outros ao melhor cenário de fundo, mas todos com a mesma disposição de se apresentarem a contento.

As próprias manifestações de fora, devido ao item anterior (O imprevisto corrigido) comprovam a vontade de muitos simpatizantes do karaokê, assíduos nos eventos presenciais quererem rever um, mesmo de forma virtual, indicando que se mania virar, nesse período de isolamento social, certamente muitos irão aderir.
Em nossa Regional ABCDBS foi o Paulo Watari quem iniciou esses eventos virtuais. Começou com um Kouhaku com 24 cantores; depois festival Natsukashi, com 56; depois um interclubes da Regional, com 100; outro Festival, também com 100 cantores; neste sábado, o Karaokê Arraial, com 28; e já  marcou um, do tipo de transformação, para 5 de julho. Todos, com vídeos previamente gravados em que o próprio cantor posta na sua vez”, revelou Tiyomi Takase, presidente da regional e também, interina, da UPK. “Na UCEG, sim, foi verdadeiramente um taikai virtual, em tempo real, pelo Google Meet. … A repercussão foi tamanha que o Pedro Mizutani (presidente licenciado da UPK) pediu para que elaborássemos um para a UPK e para convidar suas associações”, revelou. “Por isso, gostaria de cumprimentar toda a comissão organizadora deste pioneiro taikai virtual, em especial à Margarida por tamanha dedicação para que isso se tornasse uma realidade”, concluiu.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 20-TaikaiUCEG-1-Margarida.jpg

Assim, constatado o êxito e a repercussão obtidos nessa primeira experiência a um taikai virtual, a coordenadora Margarida fez questão de… “agradecer muito ao marido, filhos e genro pelo apoio, bem como à Comissão Organizadora e aos Jurados pela dedicação total, e assim como aos cantores que abrilhantaram nosso evento”.

OBS: Ver aLista dos Campeões e as associações participantes em Resultado de Taikais neste mesmo site, pelo Home.

(Colaboração às fotos e montagens: Rosana Sasaki, Ligia Segall, Mauro Yokoyama e Kunime Iwamoto)

2 Comments on "1º Karaokê Taikai Virtual da UCEG"

  1. Tive o privilégio e o prazer de participar do primeiro taikai online de São Paulo.
    As falhas e deficiências devido à tecnologia, são totalmente perdoáveis, devido ao pioneirismo e aos imprevistos que foram surgindo, antes e durante o taikai.
    Parabéns para toda a comissão, principalmente à Margarida, devido à sua grande dedicação para a realização deste inédito evento.

  2. Parabéns a toda Comissão Organizadora, UCEG e UPK pelo estupendo Festival, desenvolvrndo a Cultura Musical do Karaokê.Parabéns a todos os 125 participantes e aos Vencedores!.
    APISP-SP-Associação dos Profissoonais de Imprensa de São Paulo.
    Pres. Nilo Sérgio Marchi.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*