No 24º Brasil Kohaku Utagassen teve vitória masculina e… Eduardo!

Realizado no dia 02 de dezembro de 2018, no lotado Grande Auditório do Bunkyô-SP, o 24º Brasil Kohaku Utagassen registrou nova vitória da equipe branca, masculina, deixando o placar, agora, em 13 a 10 a seu favor, mais um empate.

A edição anterior do ano passado, que teve como tema a saudação aos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil que ocorreu neste ano, em 18 de junho deste ano, proporcionou à desta o Encerramento dessa comemoração relevante à comunidade nipo-brasileira .

Por isso, desde o início o tema foi mote ao evento, a começar por uma apresentação de odori (Fujimaryu Nihonbuyô), Hinazuru Sanbashô, seguida das músicas “Sakura” e “Tooryanse”, muito populares dentro do navio Kasato Maru, cantadas pelas principais cantoras do INB (Instituto NAK do Brasil), organizadora desse Brasil Kohaku, Yochimi Kitagawa, Elsa Fuchimi, Tereza Kato, Yuko Tashiro e Tamie Aoyagui; e por Paschoal Michida, Yasuyuki Fukasawa, Miyuki Fujishima, Akira Jojima e Kazunao Yui que cantaram “Oitaru Kaitakusha no Uta”, música adaptada no Brasil, com letra de Hikoshiro Ogihara.

A partir de então, deu-se início, propriamente dito, à disputa entre as equipe masculina e feminina num total de quarenta oito cantores, mas que devido à necessidade de descanso dos músicos, alternados por apresentações de odori (dança tradicional japonesa) ou canções diretamente vinculadas aos 110 anos da imigração japonesa no Brasil, desde a era Taishô, passando por Natsukashii Showa e Showa no Uta e canções para se perpetuarem.

Ao deste ano, a fim de consolidar a comemoração da imigração, após apresentações dos primeiros onze pares de cantores, foi realizada uma seção (Programa Especial) com algumas autoridades subindos ao palco para contarem sobre suas lembranças ou ocorrências durante o ano para, depois, cada qual cantar uma música japonesa ao público. Dentre eles o cônsul-geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, que surpreendeu o público não apenas pela escolha da música Sakura, estilo Jpop, mas principalmente por ter cantado muito bem. Os demais foram: Yoshiharu Kikuchi (presidente do Enkyô), José Taniguchi (presidente do Wakayama Kenjinkai), Hiroko Adachi (Beneficente Nipo-Brasileiro de São Paulo), Emiko Kamata (“rainha do Blues”) e Yochimi Kitagawa (presidente do INB).

Mas o principal destaque dess Kohaku foi a presença e participação efetiva do cantor Eduardo (Toshiaki Yoshikawa), como é conhecido e já muito popular no Japão. Foi apresentado logo na abertura, quando saudou o público e contou de sua satisfação por poder participar do mesmo, além de poder rever muitos amigos visto que cantou desde os onze anos nos taikais da comunidade nipo-brasileira.

Durante o Programa Especial deu uma palinha ao público quando foi muito aplaudido além de, aproveitando o ensejo, também ser homenageado. Encerrado o Kohaku, como de praxe, muito festivo porque todos os cantores ficam desfilados no palco na expectativa de anúncio do resultado da disputa, fez-se um curto intervalo e o público foi então brindado com um excepcional show de Eduardo.

Muito aplaudido em cada apresentação, não apenas nesse interim, mas desde sua primeira aparição de manhã e no Programa Especial, sempre fez questão de mostrar sua gratidão ao prof. Akihisa Kitagawa… “meu maior incentivador e orientador no canto, na língua japonesa e na oportunidade de agora eu estar usufruindo deste momento maravilhoso no Japão”, revelou Eduardo ao público, no palco.

Após o show, no jantar de confraternização oferecido pelo INB a toda Comissão Organizadora e a todos os protagonistas (cantores, dançarinos e colaboradores), Eduardo, por sua humildade, simpatia e paciência, pode sentir o quanto ainda é muito querido no meio e reconhecido como exemplo de sucesso alcançado por persistência e desejo de realização de um sonho.

Elzo Sigueta, presidente de honra da UPK, reperesentou a entidade no evento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *